sexta-feira, 17 de abril de 2009

O PORTO É...MAIS OU MENOS ISTO!!



Ponto prévio...uma boa noticia para si, leitor…Prometo ser breve


O Porto é, dogmaticamente falando, o local mais encantado do planeta
( fala-vos alguém que, dos 196 países do mundo, já visitou…2…ou melhor, 1, a Inglaterra…porque ir a Vigo não conta…)
Se tem apenas um conhecimento vago sobre o Porto, disponibilizo-me, desde já, para ser o seu cicerone …Então aqui vai…

O Porto tem casas, supermercados, estradas, um rio com água, pontes, escolas e alguns t3 com vista para o mercado abastecedor…

Então? Ficou ou não extasiado com a descrição detalhista?...

Não se iniba em demonstrar o seu espanto…Solte aquela interjeição barra palavrão começada por “F,” e para a simbiose ser perfeita, complemente-a com a siamesa que principia por “C” …esteja à vontade…Não se preocupe com pudores! Ninguém se vai melindrar …Estamos no Porto!

A profissão mais difícil do mundo é ser guia da cidade do Porto! Simplesmente, não é possível… (Sem querer pôr em causa a sua capacidade persuasiva, permita-me duvidar do seu sucesso se optasse por dar seguimento à sua vida, vendendo camisolas de gola alta na praia da Aguda, em pleno Agosto…Ser guia no Porto é mais ou menos isso…só que mais difícil)
O Porto não tem nada de especial! (Espere…não me insulte já)


Se for turista e quiser fazer um périplo de 2 ou 3 dias pelo Porto… não o faça!
O trânsito é caótico, os nossos eléctricos, embora bem arrumadinhos, não têm o romantismo dos da capital e, se quisermos ser justos, falta-nos, por exemplo, a tristeza poética de um Chiado ou de uma Madragoa… e a torre dos Clérigos nem sequer foi a obra mais bem conseguida do Nasoni…
Aqui, fala-se mal…escancaram-se as vogais e assassinam-se ditongos …
Já ouviu a palavra (?) “máinhe”?
Esteja à vontade para não acreditar mas, veja lá bem, que este "homicídius linguaes", significa… “Mãe”
Vá a Óbidos ou a Vila Nova de Mil Fontes…é mais giro!!

Eu sei que a palavra “alma” é de uma subjectividade brutal…Eu não posso obrigar o leitor a gostar ou a sentir algo que não seja visível a olho nu…é até absurda tal pretensão …! Mas, lanço-lhe um repto... se alguma vez quiser fazer uma tese de Mestrado ou um Projecto de Investigação sobre o tema, poupe algum dinheiro, instale-se durante um mês numa das muitas pensões da Invicta e deambule…deambular será suficiente para lhe dar aquilo que nenhuma “montanha bibliográfica”, por mais filtrada que esteja, alguma vez o conseguirá… O Porto não vem nos livros!

Ainda se lembra da parte em que lhe disse que o Porto não tem nada de especial? Peço-lhe desculpa…Há 3 parágrafos atrás eu tinha problemas de álcool…

O Porto não é nenhum Adónis… não é, de todo, um metrossexual que hidrata a pele do rosto e escanhoa os pêlos do nariz …O Porto não veste Prada…nem sequer Zara!…e a última vez que foi ao ginásio foi no intervalo das invasões Napoléonicas…
Ainda bem que o Porto, o meu Porto, não é um bibelot macrobiótico, acrítico, de rosto pálido e robótico…Aqui, não se "maquilham" emoções e não são usados preservativos nos sentimentos…Os sentimentos são alérgicos a latex...são um assunto demasiado sério para não serem sentidos na sua plenitude…
O Porto não põe bottox no sotaque (…o sotaque feio…mais bonito do mundo)
O Porto faz amor com os palavrões…é um Kamasutra de afectos…é o coração de D.Pedro IV, 31 de Janeiro e um comício do Humberto Delgado...
Aqui, por enquanto, ainda vale mais ser, do que parecer…(Perdoem-nos o atraso civilizacional…)

O Porto...O Porto vai para os jardins do palácio ouvir Ottis Reding e chorar, às escondidas, por Lisboa...amam-se!…sem querer...mas amam-se!
shiiuuuu...é segredo!



O Porto é possessivo…é a saia da minha mãe! Às vezes sufoca e chateia…
Esboça um leve e irónico sorriso quando decido partir, alegando querer conhecer o mundo …Ele sabe que volto…não me dá importância…
Parto…Arrependo-me antes de chegar à Ponte da Arrábida…Outra má decisão, a juntar a tantas outras …quero a saia da minha mãe outra vez…Não posso…é tarde e o Porto fica definitivamente para trás…
Chego a outras paragens…decido soltar-me das amarras do Porto…sinto-me patético por depender tanto de um sítio onde, por casualidade nasci…
Sou como os outros…deposito a alma num prostíbulo…digo que o Porto está muito fechado em si mesmo e começo a falar um português "escangalhado" em que o "burguês" "V" começa a substituir o telúrico "B"...(de baca)...sinto-me sujo, como uma viela da Rua Escura…com vergonha da minha sem vergonha…
A viagem não me devolve o quotidiano alegre…Nunca chego a desembarcar de mim mesmo…
Tenho saudades das inutilidades úteis...Sinto falta do vento pungente e da hulha da minha gente...
Durmo…tenho erecções…primeiro com o Bolhão, depois com a noite de S. João…
Acordo a chorar...
Aproveito o excesso instantâneo de lucidez e decido voltar para de onde nunca saí…
Passo a Ponte da Arrábida...olho para o rio e temo que me engula…
motivo? Traição!!
Assim mesmo...sem meias palavras!
…Saio incólume e… lá está o Porto …O mesmo… mas diferente…
Com a testa franzida, pergunta-me como é o mundo... como são as cataratas do Niagara,o Forte de Mombassa e os poemas do Frank O`Hara...
Depois, pretensioso, pergunta-me quem é que eu quero enganar...
Encolho os ombros estreitos, baixo a cabeça, e aceito a evidência…sou patético…não consigo ,nem nunca irei conseguir, deixar o sítio onde por casualidade nasci…


Se decidir vir ao Porto, seja justo com Ele e fique, no mínimo, 10 dias…e livre-se de recorrer aos serviços de um guia…Por melhor que ele fale da fantástica obra arquitectónica que é, por exemplo, o edifício da Câmara Municipal, ele vai reduzir o Porto a pedra…
E o Porto não se vê….

8 comentários:

Ritinha disse...

Muito bom...fantástico! A essência do Porto é "mais ou menos isso"

Anónimo disse...

Aqui fica a 1ª mensagem de mais uma fã.
Algumas palavras de incentivo para que continues com o bom trabalho que fazes e claro, anciosa pelo teu 1º livro.
Um beijinho

Samanta Moura (colega de profissão)

João Nogueira disse...

Olá Samanta,

Muito obrigado pela tua simpatia...A sério! Sabes, sou um bocado vaidoso, e estas coisas sabem bem :) :)

Beijinho e boa sorte nesta nossa fantástica profissão....

Daniela disse...

Quem escreve assim tem razões válidas para ser vaidoso! Falsa modéstia é arrogância. Parabéns, Prof. João.

João Nogueira disse...

Professora Daniela, és a maior pah!

E tu é que tens razões válidas para ser vaidosa...

Beijinho grande e muito obrigado :)

CALLIBAN disse...

Amigo, na descrição do teu perfil, contas que "gostavas de escrever bem". Como estás enganado...! Tu já escreves muito bem e isto é dito por alguém que ama escrever também.
Pensei ler o texto na diagonal quando aqui caí por acidente (...) mas depressa colei na poesia rica que usaste para caracterizar o nosso bem amado Porto.
Muito bom, muito bom mesmo!
Os meus sinceros parabéns.
Claudio "calliban" Lopes

claudia disse...

Muito Bom mesmo! Excelente escrita. Parabéns!

Renata Pena disse...

João acho que já foi tudo dito...estás realmente de Parabéns...tal como o NOSSO PORTO!!!
Beijinho Renata