domingo, 29 de novembro de 2009

SUL...




Parti para sul porque sim…talvez por o Norte ser pouco longe!
Faltava-me mundo…E onde estava, o amor era longe!
Fiz bem, acho eu….
No Sul…vou andando! Nunca pior!

Pelo menos, o Amor sentou-se ao meu lado…numa viagem… para norte! O amor sempre me pareceu sulista...não sei porquê!
Vi-o, ao Amor...sentou-se ao meu lado…tenho a certeza que o vi…toquei-lhe na dobra da calça de ganga com o sapato! O amor era ali…a meio caminho entre o norte e o sul, ao pé de uma área de serviço…
Era, de facto, sulista…sempre soubera!

Que pena não ter sido o amor do Amor…! O amor passava a ser perto, dava para ir a pé…mas não…o Amor quis eu continuasse a sair de casa de madrugada e a apanhar um autocarro coberto de geada, com destino a “Não sei onde Boulevard

O amor não me quis, estava no direito dele! Que pena…parecia mesmo que queria! E eu sou bom a ver isso! Intrujou-me, o malandro …Não quis… full stop! paragraph!

Backspace a correr e delete no full stop…fica a ser só parágrafo, ok? com um espaçozinho para umas possíveis reticências, porque eu sou bom a humilhar-me...!! pedinchão, dava tudo pelos três pontinhos na prosa…
Mas não! Não há volta a dar…! Não há mais estrada…Cábut...Game Over you looser…!!
Não… não há “to be continued” para ninguém...
"THE END","IL FINE", "LE FIN"... sem direito sequer a ver o nome das personagens que vem a seguir ao fim...

Acabou…o que nunca começou!

Não é bem assim! Não começou para o Amor…Para mim, começou mal vi que o Amor, não tendo pelo na venta, tinha…! Minto! Começou doze milésimas de segundo antes, quando lhe vi a cara…Sim, porque eu ainda me apaixono por inferências…bastou-me a cara, sim senhor! E cinco milésimas de segundo antes de ver que o amor tinha pelo na venta, não tendo, ainda lhe olhei para os peitos…difamem-me, chamem-me profano, estou-me nas tintas…também me apaixono por circunferências! E mais... quanto mais redondinhas, melhor...

É só fazer as contas, então! Sou um ser humano que demora sete milésimas de segundo a apaixonar-se, mas só nos últimos cinco se apaixona verdadeiramente…Porque o verdadeiro amor precisa de um período de maturação…

Foi no Sul, já em idade adulta, idade para ser homem, que vi que o Amor não era longe…O amor passava a ser ali ao lado, depois da rotunda… mas estava fechado! Informamos os nossos estimados clientes que encerramos de 12/02/1984 a 17/11/ 2034, para descanso do pessoal.
Ponderei, mas decidi não esperar…estava de chuva!

Aquele amor que nunca foi amor ficava ali…quietinho…sossegadinho no Sul, que era a terra dele!
Olhos azuis há muitos…
Mulheres inteligentes há muitas…
Glúteos em forma de pêra rocha há aos magotes
Maçãs do rosto como as tuas? ui, ui...é o que mais há
Mãos de bailarina como as tuas há "um ror" delas...


Pois, pois, oh palerma…nós sabemos disso!

Hoje, continuo no Sul…fui ficando! O Amor, que é o amor de outro, tem treze rugas, quatro delas bem vincadas, feias até …está mais bonita!
Não se lembra que eu me lembro que gostava de roupa amarela, que fechava os olhos com muita força sempre que passava a ponte Maria Pia e que passava a vida a dizer que tinha uns pés bonitos… Não se lembra de mim! Pior…se passar por mim na rua, é bem capaz de pensar que conhece esta cara de "algum lado"…

Agora não me falta mais mundo…Aqui, no Sul, é que é a civilização, pelo menos é o que se diz… Saí do meu ponto cardeal porque a relva parece sempre mais verde do outro lado...Saí à procura deste mundo, onde havia tudo… luzes, prédios altos, tão altos que parecia que Deus morava no último andar… pessoas de cor… cor branca, cor preta, cor amarela…buzinas regateiras, sem noção de ritmo…vi damas, crétcheus, pulas, blacks, chulos, mulheres da vida, mulheres que se faziam à vida…vi burkas a conviver com mamas ao léu… línguas estranhas ...ami crébo tchéu…vi crioulas a namorar brancos finguelas, vi católicos a quererem ser ateus e vi homens felizes.. de mãos de dadas com outros homens…felizes também!

No Sul, que é sempre o Norte de algum lugar, “mastiguei mundo”…vagueei, deambulei, amei... quase que fui amado…Foi mesmo por um triz! Bateu na barra, na linha de golo e... não entrou!
No Sul, onde fazia sempre muito sol, eu andei sempre de gorro e de cachecol...

Hoje, ou melhor, agora, estou aqui no Cais, a bater com o maço de cigarros na palma da mão! O cigarro sabe melhor assim...
Faço 77 anos em Fevereiro e não fui feliz!
Full stop! Paragraph!

4 comentários:

divagarde disse...

O 7 é o número da perfeição, símbolo da totalidade do espaço e tempo, número sagrado em todas as filosofias e religiões.
Sete as artes (ok, agora dizem ser nove), as maravilhas do mundo antigo, os dias da semana, as cores do arco-íris, as notas musicais, os anões da Branca de Neve, os véus de Salomé e os algarismos romanos [I V X L C D M]. Sete os pecados capitais e as virtudes cardinais.

E ainda esta curiosidade... o número Áureo de Pitágoras era 1 4 2 8 5 7
Não se sabia o que significava, mas descobriu-se que

multiplicado por 2, é como se os dois primeiros algarismos passassem para o fim, 2 8 5 7 1 4

multiplicado por 3, é como se o primeiro algarismo passasse para o fim, 4 2 8 5 7 1

multiplicado por 4, é como se os dois últimos algarismos passassem para o início, 5 7 1 4 2 8

multiplicado por 5, é como se o último algarismo passasse para o início, 7 1 4 2 8 5

multiplicado por 6, há toda uma troca no equilíbrio, uma troca entre os três primeiros algarismos e os três últimos, 8 5 7 1 4 2

multiplicado por 7, o resultado é
9 9 9 9 9 9

:))))
Bom... o 7 é um número cheio de potencialidades :) vai daí que os 77 anos, não apenas dobram o 7 como o multiplicam :)

Bom fim de semana!

Poetaporkedeusker disse...

Deu-me imenso prazer ler este seu post, João. De alguma forma me pareceu que escreve bem e sabe manter o leitor preso às suas palavras, com a dosezinha certa de humor e ironia. Acredito, mesmo, que um dia vá escrever um livro... se não o escreveu ainda.
Um grande abraço e um feliz Natal para si!

Daniela disse...

Estás cada vez melhor!!!
Parabéns!
Fico à espera de algo que envolva a nossa aventura diária, ser professor...
Um beijinho,
Daniela

Nelumbo nucifera disse...

Ja te "linkei"! Que surpresa, nao sabia que escrevias tao bem :) Ainda me lembro do teu problema com as linhas e a pontuacao (e eu achava um piadao) e olha... ai estas tu, melhor que nunca :) Desculpa a falta de pontuacao mas os teclados na Australia nao tem acentos :P Quanto ao livro, ve se o escreves para depois meteres uma "cunha" para mim ;) Beijinhos, continua o bom trabalho!